FESSP-ESP participa de grande Mobilização em Defesa do Serviço Público

A Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo (FESSP-ESP) teve a honra de participar, nos dias 12 e 13 de setembro, em Brasília, da grande mobilização da Jornada Nacional de Luta, organizada pelas entidades integrantes do Movimento Nacional Unificado em Defesa dos Servidores Públicos. De acordo com a organização, mais de 15 mil pessoas marcharam por Brasília nos dois dias de mobilização.

0

Membros da delegação da FESSP-ESP presentes na mobilização.

Membros da diretoria da FESSP-ESP, juntamente de sindicatos e entidades parceiras, responderam prontamente o chamado feito pela CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil) para estar na capital do país para lutar contra as pautas bombas, protagonizadas pelo PLP 257, PEC 241 e PLS 204, que atentam contra os direitos dos servidores públicos e trabalhadores, sendo assim, violentamente prejudiciais ao conjunto da sociedade. As entidades filiadas e parceiras da FESSP-ESP participantes, por São Paulo, tratadas no Movimento em Defesa do Serviço Público foram: dirigentes da Força Sindical, SINHC-SP, SINTELPOL, SIMOESP, SINDALESP, SISDERESP, SISPESP e SINDSEMP/SP.

Primeiro dia de mobilização

A mobilização se iniciou no dia 12 no período da tarde. Entidades de todo o Brasil se reuniram na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para a organização das atividades da noite do dia 12 e do dia 13. A estrutura foi montada pela CSPB e Nova Central e contou com água, alimentação, abrigo e banheiros químicos para os presentes. A organização contou com o protagonismo da CSPB e participação e unidade de ação das Centrais Sindicais: Nova Central Sindical de Trabalhadores, Força Sindical e CTB com apoio e participação da SP-Conlutas, CUT, Intersindical e diversas outras entidades. A concentração para a marcha noturna se deu às 19h30 na tenda personalizada da CSPB e da Nova Central, com preparação de velas, onde vários seguimentos de trabalhadores partiram rumo ao Congresso Nacional, juntamente com os servidores públicos, para clamar: “Não aceitaremos nenhum direito a menos”. A Polícia Militar estima que cerca de 2 mil pessoas participaram do evento, mas a organização estimou em 10 mil pessoas.

img_1302

“Os Governos estão subordinados ao Capital Financeiro e querem usar o servidor público como bode expiatório. O intuito com a retirada de direitos do trabalhador é criar superávit primário para o pagamento de juros e aumentar o lucro dos bancos. Temos que exigir a auditoria da Dívida Pública, pois esse será o caminho para começarmos a resolver os problemas do nosso país. Não aceitaremos a PEC 241, que congela investimentos em áreas onde o investimento é essencial, como saúde, educação e segurança. Isso culminará no regresso de toda nossa sociedade. Não aceitaremos nenhum direito a menos, como o PLP 257 propõe. A mobilização de hoje é somente o início de uma forte união entre as entidades sindicais, que não descansará até a derrubada desses nefastos projetos. O nosso interesse está acima de todas as diferenças”, disse o presidente da FESSP-ESP e secretário-geral da CSPB, Lineu Neves Mazano.

Lineu Neves Mazano, presidente da FESSP-ESP e secretário-geral da CSPB.

Lineu Neves Mazano, presidente da FESSP-ESP e secretário-geral da CSPB.

João Domingos, presidente da CSPB, enfatizou a importância da mobilização. “Somos nós servidores públicos que puxamos este movimento pelo resgate histórico, sobretudo da Democracia Brasileira com a realização desta caminhada cívica dos servidores públicos aqui em Brasília”. João Domingos ressaltou, também, que o Governo conseguiu o que nunca tinha sido alcançado antes, a unidade das Centrais Sindicais.

Segundo dia de mobilização

As entidades sindicais se reuniram, logo pela manhã, na tenda na Esplanada dos Ministérios, para a organização de uma caminhada contra a destruição dos serviços públicos e defesa dos direitos dos trabalhadores. De acordo com a comissão organizadora, cerca de 15 mil pessoas estavam na mobilização. A passeata encerrou-se com o relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público, no Auditório Petrônio Portela, no Senado Federal. Uma iniciativa da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil- CSPB, em parceria com a NCST, CTB, Força Sindical e outras centrais.

img_1402

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público é coordenada no Senado Federal pelo senador Paulo Paim, e na Câmara dos Deputados pela deputada Alice Portugal. Ambos ouviram o pedido da CSPB e de toda classe de servidores públicos que tanto sofrem ataques no Congresso Nacional. “Esta frente representa, de fato, a linha de frente dos interesses dos servidores públicos. A perspectiva neste momento é pela busca de um país mais justo e a correlação de forças no Congresso Nacional que garanta a estabilidade para os servidores, além de barrar todas as propostas que possam ameaçar as conquistas trabalhistas. Não aceitaremos nenhum direito, que tanto batalhamos para conquistar, a menos”, explicou o senador Paulo Paim.

“Quero aqui deixar o meu agradecimento em nome da CSPB ao nobre senador Paulo Paim, que tanto luta pelos direitos dos trabalhadores desse país, por estar levando a nossa bandeira dentro do Senado Federal. O relançamento dessa Frente Parlamentar é de extrema importância, pois precisamos avançar, mas nós, dirigentes sindicais, não podemos achar que a luta está ganha. Temos que cobrar os deputados e senadores que estão apoiando a Frente, pois não basta assinar o apoio e não votar em defesa do servidor. O nosso trabalho vai se intensificar cada vez mais, pois o interesse do servidor público está acima de qualquer outra diferença”, disse Lineu Mazano em discurso na Frente Parlamentar.

Lineu Neves Mazano discursando no relançamento da Frente Parlamentar.

Lineu Neves Mazano discursando no relançamento da Frente Parlamentar.

João Domingos, presidente da CSPB, criticou a proposta de emenda à Constituição (PEC 241/16), que vem para limitar pelos próximos 20 anos o aumento dos gastos públicos à inflação do ano anterior. “Esta reforma trata-se do negociado sobre o legislado, não existindo mais o efeito da CLT, e nenhuma lei terá mais força diante desta PEC”, explicou Domingos.

A FESSP-ESP parabeniza toda a articulação feita, principalmente, pela CSPB e Nova Central, para que essa mobilização fosse possível. A Federação se coloca à completa disposição das entidades para atender os próximos chamados, pois a nossa luta somente se iniciou. Também agradecemos a disponibilidade das entidades filiadas e parceiras em estar nessa luta conosco.

FESSP-ESP com o senador Paulo Paim.

FESSP-ESP com o senador Paulo Paim.

FESSP-ESP conclama sindicatos filiados e entidades coirmãs a participarem das lutas. Se não houver participação e adesão dos sindicatos e entidades, todos nós, servidores públicos seremos prejudicados com perda de direitos e benefícios. Não aceitaremos nenhum direito a menos. Juntos somos mais fortes.

Você pode conferir todas as fotos do evento no link: https://www.flickr.com/photos/fessp-esp/

Confira a fala de Lineu Mazano no Relançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público na íntegra:

 

Fala de João Domingos, presidente da CSPB:

 

Fonte: Imprensa FESSP-ESP; SECOM – CSPB – Fotos por Juliano Calixto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *