KATIA RODRIGUES DIRETORA DE ASSUNTOS DA MULHER DA FESSP-ESP E NCST-SP PARTICIPA DE REUNIÃO COM REPRESENTANTES DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Kátia Rodrigues, Diretora de Assuntos da Mulher da FESSP-ESP e da NCST-SP, participou, juntamente com a Secretária Nacional de Assuntos Raciais da NCST, Catia, na  manhã do dia  (10/10/17) da reunião  com o DAGEP ( Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social  ) da SGEP ( Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa ) do Ministério da Saúde  que com seus representantes  Marcus Vinicius Peixinho e Flavio Robin da Silva Correia, com a intensão de Implementação de uma Equipe da Política Nacional Integral da População Negra ,  a  convite e organização do Secretário Racial da Força Sindical e Presidente do INSPIR, o Sr. Francisco Quintino.

Nesta reunião  foram convidados e estavam presentes  dirigentes sindicais das Centrais  NCST , CUT,FORÇA SINDICAL , Conselheiros  Municipais  e Estaduais de Saúde. Dr. Alexandre Silva, médico em  Saúde  Pública pela USP na qual  deu sua contribuição via Skype  e   Dra. Ligia Maria Carvalho Soares  da área Técnica de Saúde da População Negra  da SES –  (Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. O representante  do M S  fez a exposição da oficina técnica de médicos   realizado com sucesso  pelo  DAGEP/ SGEP ,  realizado no Ministério da Saúde em  Brasília no mês de agosto de 2017 e a importância  da classe médica no projeto como multiplicadores  na saúde da população negra, o avanço nos indicadores  como o requisito (raça/cor) nos formulários dos usuários  do  SUS , entre outros dados estatísticos.

Marcus Peixinho ressalta ainda   a importância das Centrais Sindicais estarem envolvidas nesta pauta e o quanto é relevante e  fundamental a Implantação da Política de Saúde de Estado da População Negra. A representante  Dra. Ligia Soares faz um breve relato sobre  a  SES, e que  será retomado em breve o comitê de saúde da população negra , tratando assim também os problemas da população Quilombola e  ainda está sendo providenciado um seminário até o final do ano sobre o tema.

Os presentes usaram da palavra para sugestões quanto a construção do trabalho, como fazer uma oficina de médicos em São Paulo, recomendação para o DAGEP se tornar uma Secretaria da População Negra, capacitar os dirigentes sindicais, levantamento de informações de dados pelo DIESAT e a  realização de  atos públicos.

A Diretora da FESSP-ESP e NCST/SP, Kátia Rodrigues,  usou da palavra para parabenizar  o INSPIR pela iniciativa de trazer o tema na figura de  seu  Presidente Francisco Quintino, propondo aos demais companheiros  presentes  uma Audiência Pública na  Assembleia  Legislativa de SP  –  ALESP , sendo que a FESSP-ESP tem como sindicato filiado o SINDALESP  e com isto o acesso  e disponibilidade na  Assembleia  se torna mais viável e  com maior facilidade o convite   a  autoridades e representações  do poder público.

“   Convidar pessoas para participação num Ato em local público com os movimentos sociais, sociedade civil e Centrais Sindicais é importante para o fortalecimento da luta  nas questões da  população negra , conscientizar as pessoas  sobre a discriminação, o preconceito, a deslealdade  da  mídia e a falta de assistência  social é o nosso papel como dirigentes sindicais. Na condição de Diretora de Assuntos da Mulher na FESSP-ESP, NCST-SP  recentemente empossada no Conselho  da Condição Feminina – CECF  e eleita como Conselheira  no Conselho de Saúde de SP –  CES,  estou ciente da enorme importância do tema, principalmente na questão da Saúde da Mulher NEGRA e  o quanto é necessário levantar esta bandeira, e além disso a realização de um ATO na ALESP  envolvendo o poder público, movimentos sociais, Centrais Sindicais, e políticos que militam pela causa, terá uma repercussão  a nível Nacional,”  salientou  Katia Rodrigues.

Importante também, salientar que na condição de Diretora da Mulher e da Juventude na NCST/SP e também, Diretora de Assuntos da Mulher na FESSP-ESP, Katia Rodrigues tem manifestado nos encontros as preocupações e a necessidade da construção de políticas públicas direcionadas para a saúde das mulheres jovens haja vista a diversidade de informações e infra estrutura na sociedade contemporânea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *